Almério apresentou show do DVD inédito “Desempena ao Vivo” no Polo Azulão

(Foto: Janaína Pepeu)

A cena musical caruaruense foi protagonista nesta sexta-feira (21) no Polo Azulão. Uma noite audaciosa, cheia de estilo, expressões e performances memoráveis. Afinal, trata-se do palco mais alternativo do São João de Caruaru. O cantor Nika Macedo foi a primeira atração. O caruaruense da Rua Preta, onde, segundo ele, moram todos os poetas, fez um repertório regional com inspiração nos cantadores repentistas. O show foi pontuado por canções de Lenine (A Lavadeira do Rio), Jackson do Pandeiro (Sebastiana), Alceu Valença e algumas cantigas de autoria própria.

Em seguida, subiu ao palco o cantor e compositor Tony Maciel, veterano do polo. O artista, que tem um gosto musical eclético, iniciou a apresentação com a música “Afogando a Minha Dor”, do cantor Azulão. Além dessa música emblemática, Tony trouxe um repertório de canções autorais, entre elas a composição italiana “Sobre Sábado” (Sabato), e de outras autorias, como “Fica tudo Bem” de Silva, gravada por Annita, cantadas com a participação da sobrinha Geovanna. O Sertão de Luiz, também de autoria do cantor, gravada por ele e a cantora Daniela Mercury, esteve no repertório.

O cantor, compositor, instrumentista e poeta caruaruense, Erisson Porto, foi a terceira atração. O multiartista, que completa 18 anos de carreira em 2019, ingressou efetivamente no São João de Caruaru em 2001, ao lançar o primeiro CD “O Barro Cozido”. No show autoral desta noite, Erisson pôde mostrar toda a sua contemporaneidade através de um repertório de autores que o influenciaram, numa apresentação dançante com pegada pop. Entre as músicas autorais apresentadas esteve “Futuro em Cores”, gravada pela cantora da cena caruaruense Rogéria, e “Trilheiro”.

Encerrando a noite, subiu ao palco o cantor altinense Almério, ganhador do 29º Prêmio da Música Brasileira, na categoria revelação, que apresentou o repertório do DVD inédito “Desempena ao Vivo”, com previsão de ser lançado em setembro deste ano. “Caruaru é uma fonte de inspiração inesgotável e muito importante para mim. Eu tenho uma ligação muito forte com esse lugar, desde pequeno. Vir fazer o São João de Caruaru é uma doce responsabilidade, porque eu estou em casa, mas quero dar sempre o melhor. Quem me viu hoje, viu o artista se entregando, como sempre se entregou, mas com uma pitada especial, porque eu estou aqui nesta cidade”, destacou Almério.

Para a estudante de engenharia civil Tamara Oliveira, que tem 26 anos e veio pela primeira vez à Caruaru, foi uma experiência arrebatadora vivenciar o Polo Azulão. “É minha primeira vez aqui no São João de Caruaru. Eu sou de Garanhuns e está sendo maravilhoso conhecer a cidade nessa época do ano. Para mim é ótima essa miscigenação de cultura que tem aqui no Polo Azulão”, declarou.

O show de Almério contou com diversos momentos performáticos do artista e a participação efetiva da plateia, que cantou junto com ele a música “Trêmula Carne”. A cantora Gaby da Pele Preta fez uma participação na música “Me dê”. “Eu acho uma experiência incrível, a expressão máxima do nosso Nordeste. Acho maravilhosa a proposta do Azulão, que tem o reconhecimento da arte nas suas diversas formas. Eu curto aqui o São João de Caruaru, porque acho que me representa”, ressaltou o assistente administrativo de Santa Cruz do Capibaribe (PE), Wladymir Dereky Silva, de 19 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *