Documentário sobre a Banda de Pífanos de Caruaru será exibido no Polo do Repente

Foto: Divulgação/Helder Lopes

A Banda também se apresentará no Polo Azulão dia 23, aniversário de 100 anos do Mestre Sebastião Biano

Dia 20 de junho a programação do Polo do Repente está pra lá de especial. O dia contará com a exibição de “Pipoca Moderna”, documentário dirigido por Helder Lopes e realizado pela Luni Produções, com apoio do Estúdio Carranca, que nos apresenta um pouco da vida e obra do mestre pifeiro Sebastião Biano, homenageado do São João de Caruaru e único remanescente da primeira formação da lendária Banda de Pífanos de Caruaru.

Após sua estréia oficial, que acontece dia 16 de junho, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, o filme aporta no São João Cultural da Cidade, onde será exibido a partir das 19h, numa sessão aberta ao público. Familiares de Sebastião e amigos da família Biano foram convidados para conferir a homenagem em forma de longa-metragem e são esperadas também a presença de outras bandas de pífanos locais. Após a sessão, a Banda fará uma breve uma apresentação.

Já 23 de junho, aniversário de 100 anos de Sebastião Biano, é dia do Polo Mestre Azulão receber a Banda de Pífanos de Caruaru, em uma apresentação completa, que comemora o centenário do Mestre e o retorno da Banda a programação do Melhor e Maior São João do Mundo.

 

Sebastião Biano – Homenageado do São João de Caruaru 2019

Sebastião Biano nasceu em Mata Grande, no sertão de Alagoas. Enfrentou seca e tempos difíceis. “Me criei assim: quando estava seco e não tinha o que comer, meu pai ia para outro canto melhor. Depois, quando ficava ruim de novo, a gente ia para outro lugar”, conta. Aprendeu a tocar pífano aos cinco anos, quando seu pai criou a banda que viria a gravar diversos discos a partir dos anos 1970, e tocou para Lampião quando ainda era uma criança.

O grupo, integrado também pelos irmãos de Biano, fabricava os próprios instrumentos e tocou em novenas até se estabelecer, em 1939, em Caruaru, cidade que batizou a banda. Atualmente, Sebastião Biano é o único integrante vivo da original Banda de Pífanos de Caruaru e completa 100 anos no dia 23 de junho, véspera do dia de São João.

Na década de 70, o som da Banda de Pífanos de Caruaru foi apresentado a Gilberto Gil. Encantando com o que viu e ouviu, Gil saiu de Caruaru disposto a fundir as influências musicais que vinham de fora com o que o Brasil já tinha, num link entre Beatles e a Banda de Pífano de Caruaru. Gil regravou uma das músicas da banda, “Pipoca Moderna”, e a eternizou no álbum Expresso 2222.  Foi basicamente por causa desse encontro e da criatividade despertada por ele, que se deu início ao movimento musical conhecido por Tropicalismo.

 

Pipoca Moderna – Sinopse

O Mestre Centenário Sebastião Biano, fundador da Banda de Pífanos de Caruaru, volta à cidade que o projetou como grande influenciador da tropicália e um dos principais ícones da cultua popular no Brasil. Na viagem, Sebastião, que vive em São Paulo desde os Anos 70, revê familiares, participa de eventos públicos, faz espetáculos e depara-se com uma virtuosa banda de jazz – oportunidade em que revisita algumas de suas principais composições e improvisa livremente ao lado de instrumentos da nova geração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *