São João na Roça divertiu moradores de Malhada de Pedra em Caruaru

(Foto: Janaína Pepeu)

Nesta sexta-feira (14), o São João na Roça aportou no Sítio Malhada de Pedra, na zona rural de Caruaru, e levou muito forró pé de serra para os moradores daquela localidade. A atmosfera junina estava em toda parte, nas barraquinhas de comidas, na decoração feita no capricho com balões multicoloridos e iluminados, nos vestidos coloridos e rodados das crianças que foram aproveitar a festa em família, junto com toda a comunidade. Foi o momento de celebrar entre amigos os festejos juninos, época mais aguardada do ano pelo caruaruense.

Pelo palco do projeto itinerante passaram o Trio Chamego Bom, o cantor Manoelzinho do Acordeon e a Banda Cheiro da Terra. O apresentador e poeta Raudênio Lima declamou poesia matuta nos intervalos das atrações. Teve também a apresentação dos repentistas Raminho Xavier e Blonô Gonçalves, que divertiram o público ao se desafiarem em versos acompanhados da viola.

Teve também grupo de bacamarteiros. A tradição, que é mais antiga que a própria cidade de Caruaru, foi representada pelo Batalhão 95, da Vila de Peladas, do município. Os componentes do grupo desfilaram seus trajes típicos na cor azul, com lenços vermelhos no pescoço, chapéu e bacamarte nas mãos, em evoluções alusivas aos primeiros bacamarteiros que, segundo a lenda, lutaram na Guerra do Paraguai e retornaram dando tiros para festejar a vitória. Outra manifestação cultural que teve espaço na festa, foi o Boi Teimoso, do bairro do Salgado, de Caruaru.

“A ideia da descentralização do São João é permitir que as pessoas possam vivenciar a festa perto de suas casas, e para quem vem de fora, é uma oportunidade de ver o São João “raiz”, onde ele nasceu e como é que a população da zona rural se organiza para vivenciar o melhor período do nosso ano, que é o período do São João”, ressaltou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra. “Este ano são 12 polos descentralizados na zona rural. A temporada do São João na Roça começou em 18 de maio e vai até o dia 29 de junho com um sucesso enorme, trazendo a alegria para cada vila de Caruaru”, complementou.

Para dona Maria de Fátima Alves, pernambucana que mora em São Paulo, a primeira experiência vai ficar na memória. “Eu moro em São Paulo e é a primeira vez que eu estou passando o São João aqui em Caruaru. Vim para a casa da minha irmã, que mora aqui em Malhada, bem pertinho da festa, e eu amei. Se eu puder, ano que vem estarei de novo aqui”, comentou Maria de Fátima. Já Josenildo Rodrigues, morador da vila, destacou a importância do evento para manter viva a cultura nordestina. “É uma delícia ter uma festa dessa na porta de casa. As pessoas daqui da Zona Rural estão se sentindo felizes, pois muitas delas não têm condições de deslocar-se para uma festa fora daqui. Isso é importante para manter a nossa cultura”, pontuou Josenildo.

Maior Pé de Moleque do Mundo
Enquanto o São João acontecia em Malhada de Pedras, em outro ponto de Caruaru, forrozeiros se divertiam nesta sexta (14) em mais uma festa das comidas gigantes do município, talvez a mais emblemática: a festa do Maior Pé de Moleque do Mundo. O evento cultural gastronômico faz parte do São João de Caruaru e tem, como responsável, dona Maria Eugênia, mais conhecida como “Maria do Bolo”.

A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, também esteve presente nesse evento e recebeu uma comenda das mãos do filho de dona Maria, Marcelo Silva, em homenagem especial. “É uma alegria poder compartilhar de tanta cultura gastronômica aqui sendo posta. A gente teve a oportunidade de, durante o São João de Caruaru, ter no nosso calendário cultural as comidas gigantes, que, de 20 anos para cá, são uma releitura das festas de bairro. Dona Maria me lembrou hoje, que foi com meu pai, João Lyra Neto, ainda prefeito, que se começou com o primeiro pé de moleque”, destacou Raquel.

Este ano, a iguaria culinária teve mais de 22 metros e cerca de 2.800 quilos para celebrar os 22 anos da festa. Para o preparo da receita gigante, dona Maria utilizou 900 quilos de massa de mandioca, 3.600 ovos, 250 quilos açúcar, 250 quilos de margarina, 80 quilos de coco ralado, 80 quilos de castanha de caju, 50 quilos de goiabada, 50 quilos de chocolate em pó, 25 quilos de cravo e 25 quilos de erva doce. O doce foi servido em fatias ao público presente no evento, que este ano foi realizado na Rua 5 de Maio, no bairro das Rendeiras, em frente ao Parque Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *